segunda-feira, 25 de abril de 2011

Ah essa minha falsa liberdade...

A uso sempre em meus discursos para afirmar que sou livre, que mando em minha própria vida, que sou dono dos meus passos e dos meus atos. Mas, no fundo, isso tudo não passa de uma idéia fixa em minha mente que expressa o meu mais puro desejo: ser quem sou sem ter que me importar com mais ninguém!! Vivo a vida montado em falsas personas que mostram ao mundo quem sou, mas isso também é apenas uma forma de eu expressar quem eu realmente desejo ser.

Vivo, aparentemente, uma rotina acelerada onde não me sobra tempo para procurar quem me ama. Essa rotina se expressa somente aos olhos dos outros porque, na verdade, sempre tenho tempo pra tudo o que me interessa. Na verdade, só faço o que me interessa... Será?
Claro que não! Faço aquilo que forças superiores me pedem pra fazer. E quando tenho uma conduta errada aos olhos desta força, faço de tudo para compensá-la.

Mas o que de errado tem nessa minha falsa liberdade?
Na verdade ela fere pessoas que me amam. Eu uso de discursos vazios pra manter essas mesmas pessoas afastadas de mim, fora do meu círculo, fora da minha vida real.
Quando preciso, sei onde e quando encontrá-las e, por isso, quando consigo o que eu quero, sei onde me esconder e o que dizer.

Mas do que adianta essa falsa liberdade?
De nada! Sou livre por certo período e prisioneiro a vida toda. E sou preso porque quero e gosto, não adianta o quanto contrário eu afirme. Faço somente o que me mandam somente o que querem, mas mesmo assim digo ao mundo que sou livre!

A verdade é que sou livre... Como um pássaro na gaiola... Como um cão na coleira.... Como um gato de rua.... Sempre tenho hora pra voltar pra casa e volto! Faço isso porque, na verdade, sou dependente, covarde e gosto de contar vitórias!

Ah essa minha falsa liberdade... Hoje só é falsa pra quem quer acreditar e pra quem eu quero iludir!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário