domingo, 25 de março de 2012

Quem [não] tem medo do lobo mau?

Eu tenho! Mesmo porque não sei quando e como ele vai me pegar. A única certeza que tenho é que ele vai me pegar, não importa o que eu faça ou diga.

O meu medo não é diferente do que as outras pessoas sentem e, aliás, todo mundo sente medo do lobo mau. Tá certo que talvez ele não seja mau (e a gente torce muito pra que não seja), mas quem será que não tem medo do desconhecido? Eu tenho pavor!

Não é vergonha admitir o medo, até dizem que ter medo nos faz seguir em frente, querer ultrapassar obstáculos que tenta nos impedir de sermos felizes de verdade. O que muda de verdade é que cada um demonstra o seu medo de um jeito: umas se acabam em festinhas, outras se juntam a pessoas que antes nem falava, outras ficam caladas mais do que o normal, outras se afastam (só na aparência) e outras dizem que tudo está dando certo porque não está dando errado!

Medo: todo mundo sente, todo mundo já sentiu, todo mundo vai sentir. Reconhecer que sente medo te liberta, te faz perceber que você não é louco e nem mesmo está sozinho no mundo.
Lobo mau: o futuro desconhecido e que, na maioria das vezes, nem é tão mau assim!

Meu lobo mau está cada vez mais perto, espreito atrás de uma árvore, pronto para pular no meu pescoço, caberá apenas a mim se ele pula pra me estrangular, ou se apenas pula pra me dar um abraço e passear no bosque junto de mim!

Vem lobo mau, no mínimo a gente vai dividir uma cesta de doces pelo caminho!

Nenhum comentário:

Postar um comentário