sexta-feira, 27 de julho de 2012

A Maldição do Batman


Este poderia ser um simples post com uma dica de cinema, no mínimo, imperdível para o seu fim de semana (e no final ele será, eu prometo). Mas o caso é que depois que o americano James Homes abriu fogo indiscriminadamente contra a plateia que assistia à estreia de "Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge", na cidade de Aurora, no subúrbio de Denver, no Colorado, muitas coisas tem acontecido em torno do filme. Fala-se até em uma certa "maldição".


À despeito de boatos e de um e-mail enviado aos fãs que compraram os ingressos pela Internet (o e-mail aconselhava que evitássemos de irmos vestidos com alguma roupa que lembrasse algum personagem do filme), fui ao cinema curtir pela última vez (será?) Christian Bale no papel de Batman - o personagem que alavancou sua carreira tão esquecida em Hollywood e interpretação que fez dessa trilogia um sucesso respeitado e aguardado no mundo inteiro - e toda a filosofia que ronda a história (sim, existe uma razão racional para apreciarmos a obra).

O caso é que nos últimos trinta minutos de filme, numa sala cheia e silenciosa - a tensão nos ronda o tempo todo e nossa atenção se direciona somente à telona - eis que numa cena crucial a tela fica preta.No primeiro momento pensamos que seria do filme, mas não!! Logo as pessoas começaram a gritar para que o funcionário do cinema consertasse o problema e nada!! Luzes de celulares tentavam iluminar a cabine de projeção e pessoas saiam da sala para reclamar.

Vi pessoas se revoltando (esperei tanto pra ver esse filme) até que o filme foi retomado e o ar de "maldição do Batman" no rodeou!

Ao sairmos do cinema, ao passarmos pela fila de quem esperava pra entrar, ouvimos as pessoas comentarem: "As pessoas estão saindo tristes", sem saber o que estavam para presenciar. Não importa se for conscidência ou se existe mesmo uma maldição. O caso é que o último filme da franquia nos surpreende, nos coloca na história, nos faz sentir pena de alguns personagens. orgulho do herói em determinada cena, esperança no que pode (e virá) acontecer no futuro e um último pensamento: "Quanta responsabilidade, hein, rapaz?!"

Evite passar em baixo de escadas, se cruzar com um gato preto toque em algo verde, ande com uma figa ou outro patuá, entre no cinema com o pé direito, coloque um galho de arruda atrás de sua orelha, jogue sal com a mão esquerda sobre o seu ombro direito e VEJA "Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge" antes que ele saia de cartaz ou que algum amigo te conte a história.

Eu quero ver outra vez....

Um comentário:

  1. Estou querendo muito ver este filme, mas com aquele atentado estou com receio rsrs...

    ResponderExcluir