quarta-feira, 18 de junho de 2014

O triste lado de amar!

Tudo na vida tem dois lados: um bom e outro nem tanto assim. Isso, por incrível que pareça, também acontece quando amamos alguém.
O amor te deixa extremamente feliz, porém, mesmo sendo amada de volta, é capaz de te deixar numa tristeza sem fim. Mas, por que isso acontece?

Criamos expectativas de um amor perfeito, como aqueles de filme onde os diálogos são pausados, onde as situações adversas são resolvidas com um simples abraço e uma promessa de que tudo ficará bem. Mas quem disse que essa perfeição existe?

Vivemos uma história protagonizada pela vida e pelos seres que nela estão inseridos. Seres complicados, diferentes, complexos, difíceis. Seres humanos. Existe coisa mais imperfeita que este ser?

Amar alguém é se desprender do orgulho próprio, é passar pelos seus limites pessoais para ajudar a outra pessoa a conquistar alguns sonhos que, talvez quem sabe, não chegue a ser compartilhado com você. Mas se não for compartilhado, por que ajudar a conquistá-lo? Simples!

Quando amamos alguém de verdade, não há nada mais gratificante que vê-la feliz! Mesmo que isso custe a nossa própria felicidade. E é ai que entra o lado ruim do amor: se sujeitar a algo que, mesmo te fazendo sofrer, você é capaz de fazer por uma outra pessoa.

Há quem diga que numa relação não devemos criar expectativas e que devemos dar um passo de cada vez. Certo! Mas me explique uma coisinha bem simples:

Como podemos não criar expectativa de uma felicidade a dois? Como dar um passo de cada vez se tudo que queremos é dar pulos de alegria?

Amar é aguardar por uma palavra que alegre, ou destrua, seu dia. É esperar por um telefone, por uma mensagem. Amar é sentir uma saudade que te aperta o peito, que te faz chorar de noite, que te faz ter medo de perder.

Amar é complicado.
Mas quem complicado não é?

Nenhum comentário:

Postar um comentário